AVALIAR versus EXAMINAR: Qual a diferença?

AVALIAR versus EXAMINAR: Qual a diferença? Artigonal.com - Diretório de artigos gratuitos Diretório de Artigos Gratuitos Porque publicar artigos? Autores Populares Artigos Populares  AResponde Publicar Artigos Login Login via Login via Facebook Cadastro Olá área do Autor Saír if($.cookie("screen_name")) { $('#logged_in_true li span').html($.cookie("screen_name").replace(/\+/g,' ')); $('#logged_in_true').css('display', 'block'); $('#top-authors-tab').css('display', 'none'); } else { $('#logged_in_false').css('display', 'block'); } Email
Senha
Salvar os dados
Esqueceu a senha?
Home > Educação > Ciência > AVALIAR versus EXAMINAR: Qual a diferença? AVALIAR versus EXAMINAR: Qual a diferença? Editar Artigo | Publicado em: 26/04/2011 |Comentário: 0 | Acessos: 16 |

AVALIAR versus EXAMINAR:

Qual a DIFERENÇA?

 

Os AUTORES
desse artigo entendem que existem diferentes concepções acerca da AVALIAÇÃO, muitas vezes associadas ao
conceito de EXAME. É claro que cada
conceito de avaliação expressa uma visão de homem, de mundo e de sociedade. A
avaliação é indispensável em qualquer atividade humana e em qualquer projeto
educativo. Nesse sentido, José Dias
Sobrinho
(2003) esclarece que "um conceito de avaliação revela o
posicionamento POLÍTICO, IDEOLÓGICO, ou melhor, a VISÃO DE MUNDO DE QUEM O EMITE" (p.
50).

E o que significa avaliação? Para que serve? Por que
avaliar? Será que as escolas e as universidades avaliam ou examinam? Por que a
avaliação praticada nas instituições de ensino vem recebendo duras críticas de
muitos estudiosos dessa temática? Ela está a serviço de um processo de
dominação imposto pelos organismos internacionais de fomento a educação dos
países periféricos ou da libertação? Há algumas TESES que contribuem para refletir sobre essas questões.

PRIMEIRA TESE. A avaliação não deve representar só instrumentos de verificação do
aprendizado, mas fornecer subsídios ao TRABALHO
DOCENTE
, direcionando o esforço empreendido no processo de ensino e
aprendizagem de maneira a contemplar a melhor abordagem pedagógica e o mais
pertinente método didático adequado à disciplina - mas não somente, à medida
que considerem, igualmente, o contexto sócio-político no qual o grupo está
inserido e as condições individuais do aluno, sempre que possível.

SEGUNDA TESE. A avaliação possui, sem dúvida, relevância no conjunto das práticas
pedagógicas aplicadas aos PROCESSOS de
ENSINO e APRENDIZAGEM. Na universidade, tal relevância assume proporções ainda mais críticas,
uma vez que as expectativas em torno do graduando – dele próprio e da sociedade
como um todo - são elevadas e múltiplas: aguarda-se o homem culto, o
profissional competente, enfim, o indivíduo capacitado à resolução de problemas
pertinentes a uma ou mais áreas de conhecimento.

TERCEIRA TESE. Avaliar
exige PROFISSIONALISMO e INTENCIONALIDADE. Atestar que um aluno
teve uma nota SETE, OITO, NOVE ou DEZ sem emitir
um parecer por escrito sobre o porquê desse resultado, para que o aluno possa,
enfim, buscar as melhores estratégias de melhorar seu desempenho é uma prática
no mínimo antiprofissional (para não dizer autoritária) que leva, com certeza,
a um processo intencionalmente direcionado para o não esclarecimento, pois esse
tipo de prática não pode ser considerado ingênuo.

QUARTA TESE. Avaliar exige ACIONALIDADE consubstanciada
a uma EPISTEMOLOGIA. O que acontece
com a grande maioria das práticas pedagógicas que ocorrem nas escolas públicas
(e privadas) e nas Instituições de Ensino
Superior
(Universidades, Faculdades etc.), porém é que, em vez de serem
valorizados em seus aspectos educacionais, o planejamento do ensino e a
avaliação da aprendizagem são transformados em atividades burocráticas, formais
e que contribuem para a naturalização do status
quo
dominante.

QUINTA TESE. Avaliar exige o reconhecimento da COMPLEXIDADE
que repousa sobre o SER e o ESTAR no mundo. O que se percebe quando
a avaliação é uma prática direcionada para o esclarecimento é que quanto mais
se leva o aluno a atingir níveis mais complexos de raciocínio, maior grau de
autonomia e participação ele consegue. Um aluno que sabe avaliar seu trabalho,
certamente está muito mais preparado, em termos de aprendizagem, do que um
aluno que apenas desenvolve uma tarefa sem julgá-la.

Outro aspecto
que nos parece fundamental, quando se fala em avaliação, é o de ressaltar a
importância do professor no processo de ensino-aprendizagem, a quem devem ser
dadas todas as condições materiais e espirituais de não só transmitir
conhecimentos (pedagogia direcionada para o não esclarecimento, ou seja, para a
inculcação massificada), mas também de materializar uma postura crítica direcionada
a quem produziu os conhecimentos, e, acima de tudo, sobre as circunstâncias nas
quais tais conhecimentos foram incorporados ao senso comum acadêmico.

Quando o processo de avaliação está sendo historicamente
consubstanciado a um processo de não esclarecimento é uma clara evidência que
uma nova patologia está ganhando dimensões sociais. Philippe Meirieu (1949), um dos defensores da Educação Popular, ensina que "a avaliação não é tudo; não deve ser o todo,
nem na escola nem fora dela; e se o frenesi avaliativo se apoderar dos
espíritos, absorver e destruir as práticas, paralisar a imaginação,
desencorajar o desejo, então a patologia espreita-nos e a falta de perspectivas,
também".

No Brasil a prática da avaliação é historicamente assumida
como exercício do AUTORITARISMO: os
de cima – os colonizadores – são os avaliadores (ou examinadores); os de baixo
– os colonizados – são os avaliados. Neste esquema é que o superior é quem
avalia os inferiores; os comandantes avaliam os comandados; os pais avaliam os
filhos; os mais velhos avaliam os mais novos; os professores avaliam os alunos
e ponto final. Com essa mentalidade avaliativa, só os de cima fazem o processo;
os de baixo sofrem o processo já determinado.

 

Rubens
da Silva Castro
é Professor da Faculdade de Educação da UFAM.

Elizeu
Vieira Moreira
é Professor da SEDUC e do PARFOR/FACED/UFAM.

Retrieved from "http://www.artigonal.com/ciencia-artigos/avaliar-versus-examinar-qual-a-diferenca-4678786.html" (Artigonal SC #4678786)

Clique aqui para re-publicar este artigo em seu site ou blog. É fácil e de graça! Elizeu Vieira Moreira Elizeu Vieira Moreira - Perfil do Autor:

Perguntas e Respostas Pergunte nossos autores perguntas relacionadas a Ciência... Pergunte 200 Letras sobrando Qual a diferença entre laptop e desktop? Qual a diferença entre caralluma fimbriata e a actives Preciso saber de um modo simples qual a diferença da geração x com a geraçao y Avaliar artigo 1 2 3 4 5 Voto(s) 0 Voto(s) Feedback RSS Imprimir Email Re-Publicar Fonte do artigo: http://www.artigonal.com/ciencia-artigos/avaliar-versus-examinar-qual-a-diferenca-4678786.html Palavras-chave do artigo: avaliacao, exame, visao, mundo Artigos relacionados Últimos artigos de Ciência Mais artigos por Elizeu Vieira Moreira Elizeu Vieira Moreira Exame nacional de desempenho de estudantes: avaliação ou exame?

Discute o conceito de avaliação e o de exame relacionando-os ao processo de ensino e aprendizagem que se dá tanto na Educação Básica quanto na Educação Superior, diferenciando o conceito de examinar e de avaliar. Esclarece que a avaliação deve ser composta de processos dinâmicos socialmente construídos e direcionados para a qualidade enquanto uma construção social e dinâmica que requer, em sua materialização e avaliação, o envolvimento da comunidade educativa.

Por: Elizeu Vieira Moreiral Educação> Ensino Superiorl 14/04/2011 lAcessos: 14 João do Rozario Lima A Imoportancia Da Avaliação

Este texto tem por objetivo mostrar ao professor que não se deve apenas aprovar ou reprovar o aluno mas sim servir como base para o professor descobrir as dificuldades do aluno e procurar técnicas diferenciadas para ajudar o aluno na aprendizagem.

Por: João do Rozario Limal Educaçãol 11/04/2008 lAcessos: 6,236 lComentário: 6 O Papel Da Avaliação Da Aprendizagem No Ensino Fundamental Aplicada Na Região Da Crede O7

RESUMONeste artigo lançou-se um olhar reflexivo sobre O Papel da Avaliação da Aprendizagem Aplicada na Região da CREDE 07, nas escolas que compõem os municípios de Canindé, Caridade, Paramiti, Itatira e Santa Quitéria. A presente pesquisa surgiu da necessidade de refletirmos sobre a importância da avaliação no processo de ensino-aprendizagem, onde avaliar seja um ato desenvolvido de forma processual, contínuo e diário.

Por: Walderclaudio Nascimento Santosl Educação> Ensino Superiorl 03/10/2008 lAcessos: 24,427 lComentário: 2 SANDRA VAZ DE LIMA A Trajetória Da Avaliação Da Aprendizagem (No Brasil)

Há tempo que o processo de aprendizagem vem sendo discutido entre vários estudiosos. Tendo em vista a sua relevância na vida do ser humano, a qual se processa através da ação sobre o meio físico e a interação com o meio social. No âmbito escolar a aprendizagem acontece de forma sistematizada, embora não atinja a todos de forma homogênea, devido a diversidade cultural presente na sala de aula. Ressalta também, a existência de fatores que interferem na aprendizagem dos alunos, sendo estes: escolares, familiares e individuais, porém, geralmente a escola não leva em consideração estas situações, podendo muitas vezes, dificultar a aprendizagem, sobretudo, na medida em que a escola desconhece essas situações particulares e trata os alunos como se fossem todos iguais, com os mesmos problemas, as mesmas aspirações, as mesmas situações familiares.

Por: SANDRA VAZ DE LIMAl Educaçãol 30/11/2009 lAcessos: 1,497 Um olhar sistêmico da avaliação da aprendizagem em seu contexto global e no ensino superior

Ao se pensar em avaliação escolar associa-se este elemento a um problema de grande escala nas instituições de ensino. Neste procedimento, a avaliação é tida como aferição de resultados em provas e/ou exames. Apesar de grandes discussões sobre a temática, este instrumento tem sido utilizado como ferramenta e/ou demonstração de puro autoritarismo, sobrepondo-se à importância do conhecimento e de sua posterior difusão, imputando ao aluno a aprendizagem forçada por meio de pressão.

Por: HUDSON CANUTOl Educação> Ensino Superiorl 21/03/2011 lAcessos: 112 Eduardo Luis Ferreira AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL E DA APRENDIZAGEM: JUNTAS NA MELHORIA DO ENSINO

A avaliação na educação é um tema muito polêmico, pois avaliar requer um intrincado de meios, métodos e percepção/intuição profissional, cabendo a ele transmitir através de nota a evolução ou não do educando, tornando uma tarefa não muito fácil, haja vista que, existe um prazo determinado para esta avaliação. Na história da avaliação educacional constata-se que alunos e professores freqüentemente tem sido alvo dos interesses dos avaliadores, sob múltiplas e variadas perspectivas. Hoje a avaliaçã

Por: Eduardo Luis Ferreiral Educaçãol 20/07/2010 lAcessos: 1,263 Joilson Aleixo da Silva Diário De Bordo: Avaliação Formativa Na Complexidade Do Processo Ensino E Aprendizagem E Contexto Escolar

Diário de Bordo apresentando alguns pontos sobre AVALIAÇÃO FORMATIVA NA COMPLEXIDADE DO PROCESSO ENSINO E APRENDIZAGEM E CONTEXTO ESCOLAR.

Por: Joilson Aleixo da Silval Educaçãol 20/08/2009 lAcessos: 3,741 lComentário: 1 A Avaliação Psicológica E Sua Importância Para A Prática Psicomotora

O presente estudo tem a finalidade de explanar de forma clara e concisa aspectos relacionados aos avanços da neuropsicologia e suas contribuições para a prática da psicomotricidade. Ultimamente o desenvolvimento da neurociência vem possibilitando um conhecimento mais abrangente do funcionamento do cérebro, acarretando em um estudo mais aprofundado do comportamento humano. Termos como plasticidade cerebral, neurociência e neuropsicologia estão em evidência, sendo bastante discutidos na atualidade. Dessa forma, podemos destacar a importância de tais estudos para outras práticas da área de saúde e da educação, tal como sua relevância para a Psicomotricidade.

Por: Sandra Aurora Lôbo Oliveiral Psicologia&Auto-Ajudal 22/06/2009 lAcessos: 1,714 Educação de Jovens e Adultos E Educação Popular: QUAL A DIFERENÇA?

O conceito de Educação de Jovens e Adultos (EJA) vai se transformando, historicamente, em Educação Popular no Brasil e em outros países da América Latina. A História Universal mostra que o mundo funciona por avanços e retrocessos: um passo à frente, dois ou mais atrás. No Brasil, na década de 1990, a relação mudou: um passo à frente, dez ou mais atrás...

Por: Rubens da Silva Castrol Educação> Ciêncial 26/04/2011 lAcessos: 17 Moral: conteúdo prático da ética

Explicado o conceito de ética no artigo Ética e Ética nas profissões, publicado neste mesmo jornal no dia 11 de abril de 2011, vamos ver o que significa Moral. A Constituição de um país, por exemplo, contém valores morais que os cidadãos devem conhecer e transformar em realidade por meio de seus atos...

Por: Rubens da Silva Castrol Educação> Ciêncial 26/04/2011 Somos cidadãos ou súditos?

A cidadania passou a fazer parte dos discursos não só da classe dominante, mas também das leis que tratam das questões educacionais. Mas, o que significa ser cidadão? Em diálogo com alguns estudantes, cujo nível de escolaridade é o ensino fundamental completo e o ensino médio incompleto, 75% responderam que é o direito de votar...

Por: Rubens da Silva Castrol Educação> Ciêncial 26/04/2011 lAcessos: 28 Por um ensino não-discriminatório

Desde a antiguidade clássica, o ensino de língua materna sempre esteve vinculado ao aprendizado de regras gramaticais. Aprender a escrever significa, ainda, para muitas pessoas, dominar as regras estabelecidas pela gramática tradicional. Não defendemos a ausência de parâmetros no ensino de língua materna...

Por: Rubens da Silva Castrol Educação> Ciêncial 26/04/2011 lAcessos: 14 Para transformar este país é preciso organização

Para garantirmos emprego, salário digno, saúde e educação, é necessário uma reação por parte da sociedade brasileira. Em outras palavras: a sociedade tem que ir às ruas e dizer não à corrupção e a esse reajuste abusivo do salário dos parlamentares, ministros, presidente e vice, aprovado na Câmara e no Senado...

Por: Rubens da Silva Castrol Educação> Ciêncial 26/04/2011 O brasil é um país democrático?

Sim ou não? Nossa resposta é não. Por quê? Porque durante muitos anos esta nação vivenciou e ainda continua vivenciando na totalidade dos Estados e municípios, um governo democrático de "fachadas", tendencioso, e, sobretudo, autoritário, em que a classe hegemônica apresenta e sempre apresentou estratégias administrativas, objetivando limitar e inibir as manifestações populares em qualquer tipo de instituição sustentada e subsidiada pelo erário...

Por: Rubens da Silva Castrol Educação> Ciêncial 26/04/2011 lAcessos: 11 Um olhar crítico sobre estágio supervisionado

O que é Estágio Supervisionado? Para o professor Carlos Roberto Jamil Cury "Qualquer dicionário pedagógico diz que o primeiro objetivo do estagio é isso: o mergulho que o novato, que o aprendiz tem que ter com relação à situação existente dentro de um determinado âmbito da área de conhecimento naquela profissão"...

Por: Rubens da Silva Castrol Educação> Ciêncial 26/04/2011 lAcessos: 17 História da Educação Brasileira na Ditadura do Capital (1986-até o presente) (1ª parte)

O propósito deste artigo é fazer uma reflexão crítica sobre a educação escolar pública no período após a Ditadura Civil-Militar (1964-1985), período esse por nós entendido como de uma nova ditadura: a Ditadura do Capital (1986-até o presente). O materialismo histórico e dialético, processo usado para pensar aspectos que influenciam a educação escolar desse período, nos autoriza dizer que a política de Estado após o Regime Autoritário se caracterizou por uma total ausência de controle...

Por: Rubens da Silva Castrol Educação> Ciêncial 26/04/2011 Elizeu Vieira Moreira Exame nacional de desempenho de estudantes: avaliação ou exame?

Discute o conceito de avaliação e o de exame relacionando-os ao processo de ensino e aprendizagem que se dá tanto na Educação Básica quanto na Educação Superior, diferenciando o conceito de examinar e de avaliar. Esclarece que a avaliação deve ser composta de processos dinâmicos socialmente construídos e direcionados para a qualidade enquanto uma construção social e dinâmica que requer, em sua materialização e avaliação, o envolvimento da comunidade educativa.

Por: Elizeu Vieira Moreiral Educação> Ensino Superiorl 14/04/2011 lAcessos: 14 Elizeu Vieira Moreira Ética e ética nas profissões

O ARTIGO entende que o ser humano é um ser social que interage metabolicamente com a natureza para prover as necessidades relacionadas à sua existência (metabolismo), impactando positivamente e/ou negativamente sobre a mesma e sobre si mesmo (sociometabolismo). Portanto, cabe-lhe se dispor a pensar e a responder às seguintes perguntas: Como devo agir perante os outros homens? Como devo agir sobre a natureza? Obviamente estas questões são fáceis de serem formuladas, mas difíceis de serem

Por: Elizeu Vieira Moreiral Educação> Ciêncial 28/03/2011 lAcessos: 70 Elizeu Vieira Moreira Algumas considerações sobre sustentabilidade

...discute a SUSTENTABILIDADE como um dos grandes problemas do capitalismo enquanto um sistema essencialmente irresponsável em todas as suas fases produtivas ao começar com o trabalhador que não se sente responsável pela empresa que trabalha, e avança para as irresponsabilidades que o próprio sistema viabiliza sobre o ritmo de recomposição da natureza e de vida dos próprios seres humanos a ele submetidos...

Por: Elizeu Vieira Moreiral Educação> Ciêncial 19/03/2011 lAcessos: 22 Elizeu Vieira Moreira Uma das imoralidades deste país

O salário mínimo brasileiro foi instituído na Era Vargas. A Constituição de 1934 adotou, no Artigo 121, o princípio do "salário mínimo, capaz de satisfazer, conforme as condições de cada região, às necessidades normais do trabalhador". Porém, a quantia só foi estabelecida em 1º de maio de 1940, e passou a vigorar dois meses depois, com o valor de R$ 1.202,29, corrigida a preços de janeiro de 2011.

Por: Elizeu Vieira Moreiral Educação> Ciêncial 09/03/2011 lAcessos: 26 Elizeu Vieira Moreira O intelectual orgânico da classe trabalhadora

O artigo reflete sobre um dos maiores intelectuais orgânicos do Brasil: Paulo Reglus Neves Freire.

Por: Elizeu Vieira Moreiral Educação> Ciêncial 08/03/2011 lAcessos: 38 Elizeu Vieira Moreira História da Educação Brasileira na Ditadura do Capital (1986-até o presente)

O propósito deste artigo é fazer uma reflexão crítica sobre a educação escolar pública no período após a Ditadura Civil-Militar (1964-1985), período esse por nós entendido como de uma nova ditadura: a Ditadura do Capital (1986-até o presente).

Por: Elizeu Vieira Moreiral Educação> Ciêncial 08/03/2011 lAcessos: 110 Elizeu Vieira Moreira História da Educação Brasileira na Ditadura Civil-Militar (1964-1985)

O propósito do presente decurso é refletir sobre a Educação Brasileira no período da Ditadura Civil-Militar (1964-1985). O processo usado para pensar alguns aspectos da educação escolar à luz do materialismo histórico e dialético pode significar a crítica contundente a uma política educacional que se caracterizou por proporcionar uma precária formação escolar e uma escolarização básica para inserção nos processos produtivos, por procurar subtrair do ensino superior público seu conteúdo crítico.

Por: Elizeu Vieira Moreiral Educação> Ciêncial 08/03/2011 lAcessos: 181 Elizeu Vieira Moreira História da Educação Brasileira desde a Segunda República (1930-1936) até a Nova República (1946-1963)

O propósito dessa discussão é refletir sobre a História da Educação no Brasil desde a Segunda República (1930-1936) até a Nova República (1946-1963). O processo histórico usado pelos autores para pensar alguns aspectos da educação brasileira à luz do materialismo marxiano pode legitimamente significar a crítica ao fracasso das manifestações educacionais não terem, necessariamente, significado a emancipação para a grande massa da população, particularmente de sua configuração contemporânea.

Por: Elizeu Vieira Moreiral Educação> Ciêncial 08/03/2011 lAcessos: 336 lComentário: 1 Adicionar novo comentário Seu nome: * Seu Email: if($.cookie("screen_name")) { $('#not_logged_in').hide(); } Comentário: *   document.write(''); O código de verificação:* * Campos obrigatoriós Publicar

seus artigos aqui
é de graça e é fácil

Cadastro Menu do autor área do Autor Publicar Artigos Ver/Editar Artigos Ver/Editar P&R Editar Conta Perfil do autor Estatísticas RSS Builder Pessoal área do Autor Editar Conta Atualizar Perfil Ver/Editar P&R Publicar Artigos Perfil do Autor Elizeu Vieira Moreira Elizeu Vieira Moreira tem 10 artigos online Enviar mensagem ao autor Canal RSS Imprimir artigo Enviar a um amigo Re-publicar este artigo Categorias de Artigos Todas as Categorias Arte& Entretenimento Automóveis Beleza Carreira Casa & Família Casa & Jardim Ciências Crônicas Culinária Direito Educação Esportes Finanças Futebol Internet Literatura Marketing e Publicidade Negócios & Admin. Notícias & Sociedade Press Release Psicologia&Auto-Ajuda Relacionamentos Religião & Esoterismo Saúde Tecnologia Turismo e Viagem Educação Ciência Educação Infantil Educação Online Ensino Superior Línguas Necessita de ajuda? Fale Conosco FAQ Publicar Artigos Guia Editorial Blog Links do Site Artigos Recentes Autores Populares Artigos Populares Encontrar Artigos Sitemap Webmasters RSS Builder RSS Link a nós Informação Empresarial Anunciar O uso deste site constitui a aceitação dos Termos de Uso e da Política de Privacidade | O conteúdo publicado pelos usuários é licenciado sob Creative Commons License.
Copyright © 2005-2011 Ler e Publicar Artigos por Artigonal.com, todos os direitos reservados. Quantcast

View the original article here

NOTEBOOK

Related Posts with Thumbnails