Equador: apura��o r�pida confirma vit�ria do "sim" em referendo

A apura??o r?pida de votos efetuada pelo Conselho Nacional Eleitoral (CNE) do Equador confirmou a vit?ria do "sim" na consulta popular realizada neste s?bado e impulsionada pelo governo para reorganizar o sistema de justi?a e regular ? imprensa, entre outros fins. Com uma categoria a favor que vai de aproximadamente 45% at? 50%, o "sim" governista venceu nas dez perguntas que faziam parte da consulta.

Mal foram conclu?das as vota??es, uma pesquisa autorizada pelo CNE antecipou a vit?ria do "sim", embora com uma maior margem de diferen?a (de 20 pontos percentuais), contra o "n?o" opositor.

O presidente do CNE, Omar Sim?n, disse em entrevista coletiva que a apura??o r?pida foi elaborada com uma mostra representativa projetada a 75% da informa??o recebida das mesmas Juntas Receptoras do Voto (JRVs). Sim?n disse que a margem de erro da proje??o ? de 0,5%, por isso que ratificou que estes resultados ser?o "bastante pr?ximos" aos que se obtenham na apura??o oficial de votos, que demorar? alguns dias.

Al?m disso, esclareceu que os resultados oferecidos atrav?s do sistema de apura??o r?pido s?o dados "extra-oficiais", j? que os n?meros finais, definitivos e oficiais ser?o os que forem proclamados ap?s a apura??o.

Sim?n falou que na primeira pergunta, sobre reformas na caducidade da pris?o preventiva de acusados por delitos, o "sim" obteve 50,7%, enquanto o "n?o" 39,2%, e o resto s?o votos brancos e nulos. Na segunda, sobre medidas substitutivas ? pris?o preventiva, o "sim" obt?m 48,44% e o "n?o", 41,21%. A terceira pergunta sobre as restri??es aos neg?cios de banqueiros e donos de meios de comunica??o, o sim alcan?a 47,3% contra 42,3% do n?o.

Sobre a cria??o de um Conselho da Judicatura tempor?rio para reformar a justi?a, contida na quarta pergunta, o "sim" chega a 46,15% e o "n?o" 43,15%; enquanto na quinta, acerca da modifica??o na composi??o desse mesmo organismo, o "sim" obt?m 46,7% e o "n?o", 42,5%. Na sexta pergunta, que sugere a penaliza??o do enriquecimento privado n?o justificado, a apura??o r?pida d? ao "sim" 49,7% e ao "n?o" 41,1%, enquanto na s?tima, sobre a proibi??o dos jogos de acaso, 45,76% ? afirmativo contra 42,24% de que se opuseram a essa reforma.

Na oitava pergunta acerca da proibi??o das touradas que terminem com a morte do animal, o "sim" alcan?a 47,9% e o "n?o" 40,1%, tomando em conta a proje??o da vota??o nacional, embora esta pergunta tenha sido submetida a uma decis?o por cada jurisdi??o cantonal (comarca). A pen?ltima pergunta, que estabelecia a cria??o de um Conselho de Regula??o dos conte?dos da imprensa, o "sim" alcan?ou 44,9% contra 42,7% do "n?o", e na d?cima, sobre a penaliza??o a empresas que n?o filiem seus trabalhadores ? seguridade social, o "sim" teve 47,9% e o "n?o" 39,9%.

NOTEBOOK

Related Posts with Thumbnails