Secretos ... - Jogadas ao vento

Secretos...

*

Um tracejado rabiscado.

Um esboço a formar.

Curvas, linhas e retas.

Teu rosto a se desenhar.

*

Paslavras soltas ao vento.

Vento a assobiar.

Aguardo anciosa o tempo.

E teu rosto novamente contemplar.

*

Sonhos, delicados devaneios.

A me deslumbrar.

Tua boca traçado marcante.

Me fazes te desejar.

*

Desejos, loucos desvarios.

Devaneios a alma reflete.

Sentimentos constantes.

Desejos secretos de te amar.

*

Autora -Cllara dos Anjos -

*

Jogadas ao Vento...

*

Palavras tolas, jogadas ao vento...

Paslavras sem sentido.

Sentimentos banalizados.

Vidas vazias sem destinos.

*

Tornando a belez...

Em um turbilhão de cores cinzas.

A pureza do amor vulgarizado.

Sem cores alegres.

*

Brilho ofuscado.

Por sentimentos tolos.

A vida bela se fora.

Com a esperança perdida.

*

O sonho jáz inérte agora.

Nada mais tem sentido.

Por pura timidez.

Perante as atrocidades de alguns.

*

Só resta um caminho.

Seguir sozinho, por caminhos de espinhos.

Restam as lágrimas.

Bálsamo da alma aquebrantada.

*

Por escolhas erradas ao longo da jornada.

Impensadas, desejadas, planejadas.

Cavando um logo abismo, ao qual agora...

Mergulha em derradeiros instantes.

*

Logo tudo estará terminado.

A morte no breu para o renascer sublime.

Emergindo das profundezaas do oceano

Renascido, revigorado, revivido.

*

Autora - Cllara dos Anjos -

*

Secretos...

*

Um tracejado rabiscado.

Um esboço a formar.

Curvas, linhas e retas.

Teu rosto a se desenhar.

*

Paslavras soltas ao vento.

Vento a assobiar.

Aguardo anciosa o tempo.

E teu rosto novamente contemplar.

*

Sonhos, delicados devaneios.

A me deslumbrar.

Tua boca traçado marcante.

Me fazes te desejar.

*

Desejos, loucos desvarios.

Devaneios a alma reflete.

Sentimentos constantes.

Desejos secretos de te amar.

*

Autora -Cllara dos Anjos -

*

Jogadas ao Vento...

*

Palavras tolas, jogadas ao vento...

Paslavras sem sentido.

Sentimentos banalizados.

Vidas vazias sem destinos.

*

Tornando a belez...

Em um turbilhão de cores cinzas.

A pureza do amor vulgarizado.

Sem cores alegres.

*

Brilho ofuscado.

Por sentimentos tolos.

A vida bela se fora.

Com a esperança perdida.

*

O sonho jáz inérte agora.

Nada mais tem sentido.

Por pura timidez.

Perante as atrocidades de alguns.

*

Só resta um caminho.

Seguir sozinho, por caminhos de espinhos.

Restam as lágrimas.

Bálsamo da alma aquebrantada.

*

Por escolhas erradas ao longo da jornada.

Impensadas, desejadas, planejadas.

Cavando um logo abismo, ao qual agora...

Mergulha em derradeiros instantes.

*

Logo tudo estará terminado.

A morte no breu para o renascer sublime.

Emergindo das profundezaas do oceano

Renascido, revigorado, revivido.

*

Autora - Cllara dos Anjos -

*


View the original article here

NOTEBOOK

Related Posts with Thumbnails