RJ: v�timas de assalto na Tijuca relembram momentos de p�nico

Uma s?rie de assaltos que come?ou na Lagoa e terminou na Tijuca, dezenas de moradores ref?ns - inclu?dos dois beb?s -, dois pr?dios invadidos, troca de tiros, um sargento baleado e uma das v?timas obrigada a amarrar o pai e os irm?os. O enredo ca?tico que espalhou o terror por um dos bairros mais charmosos da zona norte do Rio de Janeiro teve tamb?m dose de trapalhada da pol?cia, que deixou quase todo o bando escapar. Apenas um dos criminosos foi preso ao sair do pr?dio caminhando: ele conseguiu ficar cinco horas escondido no im?vel cercado por PMs. A pris?o s? foi poss?vel porque um morador o reconheceu.

O in?cio da a??o dos criminosos foi na Lagoa. Cinco bandidos sa?ram de um baile funk no Jacarezinho num Fiat Idea preto roubado com o objetivo de assaltar. Por volta das 9h, renderam um administrador, que chegava em um Honda Civic prata para caminhar, e obrigaram-no a ir at? sua casa, na Rua 18 de Outubro, na Tijuca.

Primeiro, dois subiram para o apartamento 202 do edif?cio 141 e fizeram a esposa e o filho da v?tima ref?ns. Um zelador foi obrigado a amarrar os moradores, enquanto os bandidos roubavam o im?vel. ?s 9h30, o estudante de Direito Caio Silveira e seu pai foram rendidos ao sair do elevador: "fomos levados para a cobertura, onde minha m?e, meus dois irm?os e um amigo dormiam. Eles me obrigaram a amarrar todo mundo", contou Caio. O bando reuniu mais v?timas nesse im?vel: l?, aterrorizaram 13 pessoas. S? as mulheres n?o foram amarradas. Quatro se dividiram para roubar cinco apartamentos e um ficou na portaria.

?s 11h20, o bando come?ou a escapar. O que tomava conta dos ref?ns na portaria roubou um Logan branco e fugiu. O porteiro correu e pediu ajuda aos PMs da UPP do Morro da Formiga. Logo chegou um carro do 6? BPM (Tijuca). Quando tr?s tentavam fugir do pr?dio no Idea, come?ou o tiroteio. O sargento Milezi foi baleado na orelha, pesco?o, joelho e panturrilha ao tentar evitar essa fuga. O trio abandonou o carro e correu. O policial foi operado no Hospital da PM.

Bandido ficou cinco horas escondido no elevador
O trio fugiu pela Rua Conde de Bonfim. Dois pararam uma picape S-10 e depois a trocaram, roubando Gol verde na Rua Dr. Oct?vio Kelly. O outro criminoso roubou um Siena preto, na Rua S?o Miguel e levou o motorista deste carro at? Benfica, perto do Jacarezinho.

A partir da? come?aram as buscas pelo quinto bandido. Pr?dios e uma escola foram vasculhados. ?s 14h, chegou a Pol?cia Civil. Pouco depois, moradores, assustados, receberam a informa??o de que o bandido fugira pela mata. A surpresa veio ?s 16h21, quando Maxmilliam Fabr?cio Martins da Silva, 22, aproveitou a desaten??o dos policiais, deixou o elevador - onde ficou 5 horas escondido - e saiu pela portaria. Um morador gritou, alertando a pol?cia. Come?ou a nova persegui??o com tiros. Ele invadiu o pr?dio 459 da mesma rua, onde acabou preso.

"Eles diziam: 'eu vou matar a tua m?e na sua frente e depois te matar'"
"Eu e meu pai desc?amos para ir ? padaria quando dois bandidos nos renderam. Fomos para o meu apartamento e logo eles trouxeram outros moradores como ref?ns, inclusive dois casais com beb?s. As crian?as choravam. Eles me obrigaram a amarrar todo mundo e diziam: 'se tentar alguma coisa eu vou matar a tua m?e na sua frente e depois eu vou te matar'. Ele me obrigou a juntar tudo de valor numa mala. Pegou o perfume e disse: vou sair com cheiro de playboy hoje", revelou Caio Cardoso da Silveira, estudante de Direito e morador da cobertura.

Senha para entrar no vizinho
Enquanto a pol?cia acreditava que o quinto bandido j? fugira do pr?dio, o estudante que foi mantido ref?m praticamente o tempo todo passou horas insistindo que as buscas no pr?dio continuassem. "Ele est? aqui dentro. Quando desci da cobertura com ele, encontramos os PMs na escada na altura do segundo andar. Ele me largou, subiu correndo e eles foram atr?s dele. N?o tem como ele ter sa?do do pr?dio", repetia Caio, que, ao se desvencilhar do bandido, abrigou-se na casa de um vizinho do primeiro andar. Para conseguir entrar, teve que responder a uma senha: "bati na porta e ele perguntou meu nome e meu time. Falei Vasco. Ent?o ele abriu", explicou.

Tentativa de linchamento
Moradores da Rua 18 de Outubro agrediram o bandido assim que ele foi capturado, no pr?dio 459. Maxmilliam s? n?o foi linchado porque os policiais usaram g?s de pimenta para dispersar os moradores em f?ria. Os tiros, a persegui??o e o barulho do helic?ptero da Pol?cia Militar que ajudou nas buscas atraiu curiosos para a via, que ficou fechada ao tr?nsito por sete horas.

Logo que o sargento foi baleado e os bandidos fugiram, ela foi tomada por vizinhos. Alguns descobriram que tamb?m tiveram preju?zo. O Astra branco do jornalista James Campos, 45, ficou furado pelos tiros: "parecia que era dentro de casa". O Idea dos bandidos tamb?m foi atingido.

NOTEBOOK

Related Posts with Thumbnails