Educação e Inclusão Tecnológica no Brasil - perspectivas históricas

Educação e Inclusão Tecnológica no Brasil - perspectivas históricas Artigonal.com - Diretório de artigos gratuitos Diretório de Artigos Gratuitos Porque publicar artigos? Autores Populares Artigos Populares  AResponde Publicar Artigos Login Login via Login via Facebook Cadastro Olá área do Autor Saír if($.cookie("screen_name")) { $('#logged_in_true li span').html($.cookie("screen_name").replace(/\+/g,' ')); $('#logged_in_true').css('display', 'block'); $('#top-authors-tab').css('display', 'none'); } else { $('#logged_in_false').css('display', 'block'); } Email
Senha
Salvar os dados
Esqueceu a senha?
Home > Educação > Ensino Superior > Educação e Inclusão Tecnológica no Brasil - perspectivas históricas Educação e Inclusão Tecnológica no Brasil - perspectivas históricas Publicado em: 25/05/2011 |Comentário: 0 | Educação e Inclusão Tecnológica no Brasil – perspectivas históricas

Antes da chegada da cultura européia no Brasil, por volta de 1549, o que se tinha por aqui era uma educação baseada nos ensinamentos indígenas, na qual predominava a cultura dos deuses e dos mais velhos, não havia uma educação sistemática e sim, informal nos moldes de uma cultura e civilização primitiva. Aprendia-se o ofício da guerra, da caça, da adoração e respeito aos deuses, o que era passado de geração à geração sem nenhum questionamento por parte dos mais novos.

Com a chegada dos portugueses e junto com eles vieram os ensinamentos de uma cultura e religião completamente às avessas do que se tinha por aqui. Os jesuítas começam a catequizar ensinando a ler e a escrever aos índios que nunca antes tiveram necessidade de tal cultura. Esse método funcionou durante 210 anos quando ocorreu uma ruptura nesse método educacional com a expulsão dos jesuítas do Brasil pelo Marques de Bombal. Tentou-se as aulas régias, os subsídios literários, mas a falta de segmento continuou não conseguindo estabelecer-se em terras indígenas um sistema educacional consolidado, mais a diante fundou-se as academias militares, as escolas de Medicina e Direito.

Por todo território brasileiro, desde D. João VI, D. Pedro I e D. Pedro II, pouco se fez pela educação, havendo um atraso cultural muito grande em relação à cultural de outros países, principalmente ao que se refere ao desenvolvimento tecnológico e à busca de novos métodos de aprendizagem.

Em relação à implementação da informática educativa ou do uso da tecnologia na educação podemos retomar à década de 70, quando em 1971 houve as primeiras iniciativas do computador no ensino de Física nos EUA. No Brasil havia a expectativa de inserção da tecnologia na sociedade. No entanto, a tecnologia chegou primeiro na segurança do território com a criação, pelo Governo Brasileiro, da CAPRE – Comissão Coordenadora das Atividades de Processamento Eletrônico, a DIGIBRÁS – Empresa Digital Brasileira e a própria SEI – Secretaria Especial de Informática, que foi criada como órgão executivo do Conselho de Segurança Nacional da Presidência da República, na época da ditadura militar, ou seja, nesse período a tecnologia servia para garantir a integridade do território brasileiro.

Entretanto, já se cogitava a idéia de que a informatização da sociedade brasileira só seria viável a partir da implantação de tecnologia na educação para que o Brasil começasse a criar suas próprias raízes no ramo da pesquisa científica.

Em virtude de já haver essa perspectiva, o Ministério da Educação tratou de estreitar as discussões entre a informática e a educação que provocaria mais tarde a informatização da sociedade brasileira.

Em 1982, o MEC assumiu o compromisso de criar instrumentos necessários para viabilizar o desenvolvimento de estudos, que disponibilizassem a implementação de projetos na área da tecnologia educativa.

Para tanto foram elaboradas as primeiras diretrizes para o setor, estabelecidas no III Plano Setorial de Educação e Cultura – III PSEC, referente ao período de 1980/1985 e que davam o alicerce para o uso das tecnologias educacionais e dos sistemas de computação, visando a melhoria da educação, reiterando a importância da atualização dos conhecimentos técnico-científicos, que já tinham sido expressas no II Plano Nacional de Desenvolvimento – II PND ( 1975-1979).

Estudos apontam as universidades como as anfitriãs no uso da tecnologia educacional entre elas a Universidade do Rio de Janeiro (UFRJ), Universidade de Campinas (UNICAMP) e a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Como exemplo da utilização da tecnologia no processo de ensino e aprendizagem, podemos destacar o trabalho realizado pelo Laboratório de Estudos Cognitivos do Instituto de Psicologia – LEC/UFRGS, que potencializava o uso do computador usando a Linguagem Logo (Em informática, Logo é uma linguagem de programação interpretada, voltada principalmente para crianças, jovens e até adultos. Ela implementa, em certos aspectos, a filosofia construtivista, segundo a interpretação de Seymour Papert, co-criador da linguagem junto com Wally Feurzeig). Esses trabalhos foram desenvolvidos com crianças de escola pública que apresentavam dificuldades de aprendizagem de leitura, escrita e cálculo, procurando compreender o raciocínio lógico-matemático promovendo a autonomia dessas crianças.

"O conceito mais amplo de inclusão digital não se contenta com a acepção mais usual apoiada meramente na distribuição da tecnologia: distribuir em massa o computador e o acesso à internet. Essa acepção está ainda associada à lógica da distribuição própria da fábrica e da mídia de massa. Para superá-la, será preciso exercitar a interatividade on-line, entendida como participação colaborativa livre e plural no ciberespaço, para iniciar o processo de desvencilhamento pessoal e coletivo da lógica da distribuição ou da prevalência do pólo da emissão. Assim, mais do que acesso ao ciberespaço, será preciso formação do usuário" (SILVA, 2010). Isso reporta à necessidade de conhecimento e domínio da tecnologia para a utilização correta da cibercultura para que esta não se banalize com o tempo, daí a importância de uma estrutura acessível de distribuição das mídias atingindo a sociedade no geral sem diferenciar o usuário quanto ao grau de dificuldade cognitiva ou deficiências físicas, isso é um mecanismo necessário para que a inclusão digital ocorra de fato.

A educação se faz de fato a partir da alfabetização, quando o indivíduo passa da condição de "ser primitivo", incapaz de ter consciência da realidade e formatar opiniões para a condição de ser social e culturalmente evoluído mediante a apropriação do ofício de saber ler e escrever, podendo utilizar a lógica com propriedade a ponto de poder dominar o conhecimento de tecnologia ou equipamentos tecnológicos que garantam a inserção desse indivíduo no ciberespaço.

Para Macedo (2006), a alfabetização é analisada de acordo sirva para reproduzir as formações sociais existentes, ou como um conjunto de práticas culturais que promovam mudanças democráticas e emancipadoras, porém para tanto a sociedade precisa ter consciência de seu papel decisivo e transformador através do saber empírico ou intelectual, construindo mecanismos de mudanças que possam resultar em um espaço significativo para se manter uma identidade idealista e questionadora.

Isso só será possível também, a partir de práticas sócio-culturais e para os dias de hoje as práticas têm que ser tecnológicas mediante a inclusão social e a percepção do espaço cibernético para que o cidadão se forme plenamente dominante da realidade que o cerca.

Retrieved from "http://www.artigonal.com/ensino-superior-artigos/educacao-e-inclusao-tecnologica-no-brasil-perspectivas-historicas-4817334.html" (Artigonal SC #4817334)

Clique aqui para re-publicar este artigo em seu site ou blog. É fácil e de graça! Micheline Banhos Micheline Banhos - Perfil do Autor:

Formação básica em Geografia, atualmente desenvolvendo suas atividades no NTE, com formação continuada de professores e gestores.

Perguntas e Respostas Pergunte nossos autores perguntas relacionadas a Ensino Superior... Pergunte 200 Letras sobrando Qual o avanços na educação especial em 2010? Á projetos que envolvem a educação na sociedade que podem ser realizados sem muito custo, e experiência? Como fazer para que meu aluno de educação infantil se compreenda como sujeito construtor e construido pela sociedade Avaliar artigo 1 2 3 4 5 Voto(s) 0 Voto(s) Feedback RSS Imprimir Email Re-Publicar Fonte do artigo: http://www.artigonal.com/ensino-superior-artigos/educacao-e-inclusao-tecnologica-no-brasil-perspectivas-historicas-4817334.html Palavras-chave do artigo: educacao inclusao digital alfabetizacao sociedade Artigos relacionados Últimos artigos de Ensino Superior Mais artigos por Micheline Banhos Inez Kwiecinski DO REAL AO VIRTUAL - Alfabetização Digital

Estamos na era da informática, ter acesso a computadores e aos programas básicos para realização de nossas tarefas sejam elas na educação ou em nosso coditiano já não é algo tão distante assim. O mercado oferece uma diversificada gama de aparelhos eletônicos, hardwares e softwares, sem contar em jogos de vídeo-game, e outros tantos produtos para facilitar a nossa vida. Toda essa tecnologia gerou um movimento e a necessidade de se pensar em inclusão digital, mas afinal do que se trata?

Por: Inez Kwiecinskil Educação> Educação Infantill 25/01/2011 lAcessos: 167 WALERIA CAMINHA Tema: As Novas Tecnologias Da Educação: O Computador Como Transmissor Do Conhecimento. ( O Projeto )

1. INTRODUÇÃO Com o passar dos anos, vemos a tecnologia ganhar cada vez mais espaço no mundo. Hoje grande parte das coisas que possuímos, adquirimos através dela. O uso dos computadores está cada vez mais presente nos: supermercados, nas lojas indústrias, agricultura... No entanto, não tão presente nas escolas. A educação não pode ficar de lado, já que sabemos que um indivíduo precisa dela para sua formação, sendo essa formação de real importância, devendo ser integral e preparatória

Por: WALERIA CAMINHAl Educaçãol 24/11/2008 lAcessos: 8,845 lComentário: 1 A tecnologia como perspectiva na qualidade da educação básica

O presente trabalho tem como propósito apresentar um estudo através de uma análise bibliográfica sobre a incorporação das tecnologias da informação e da comunicação na educação básica. Apontando algumas reflexões e discussões acerca do uso das tecnologias no cotidiano e nas práticas pedagógicas dos professores de educação básica.

Por: Patricia Coelhol Educação> Educação Onlinel 24/08/2010 lAcessos: 1,052 Jorge Ramos Nunes O USO DA TELEVISÃO NA EDUCAÇÃO

Sabe-se que a televisão foi inventada no século XIX e que a partir de então ela foi idealizada por muitos professores como sendo um recurso que iria levar à educação, aos mais remotos lugares da Terra. Mas, com o seu formato que atende aos interesses de determinadas classes sociais, fez com que a mesma fosse pouca ou não utilizada em sala de aula.

Por: Jorge Ramos Nunesl Educação> Ensino Superiorl 09/01/2011 lAcessos: 147 Euripedes Marccos O analfabeto digital

Sobre um olhar mais atento, o docente precisa compreender muito além da visão crítica. Primeiro, se colocar diante das transformações políticas e tecnológicas. Segundo, sair da "caverna" e compreender o novo horizonte. Alguns profissionais da área, estão no analfabetismo digital, sair um pouco do sistema engessado talvez seja doloroso para esse tipo de observador. Portanto, o conhecimento deve ser elástico o bastante para alcançar aquele que possa auxiliar e motivar o desenvolvimento social.

Por: Euripedes Marccosl Educação> Educação Onlinel 09/12/2010 lAcessos: 83 JORGE ELISSANDER N. BALBINO A evolução da emei no segmento de educação infantil (MONOGRAFIA) PARTE 2

Os índices de reprovação na primeira série do primeiro grau na década de 1970, em Juiz de Fora, eram muito elevados. A necessidade de providências urgentes para modificar esse cenário que denunciava o descaso das esferas públicas referentes à educação e a grande desigualdade social, assolava o município. A situação da educação pré-escolar na cidade encontrava-se ainda mais precária, pois existiam poucas instituições para atender à infância, principalmente carente.

Por: JORGE ELISSANDER N. BALBINOl Educação> Ensino Superiorl 23/02/2011 lAcessos: 153 INFORMÁTICA PEDAGÓGICA NA ALFABETIZAÇÃO:  POSSIBILIDADES E DESAFIOS 

        Neste artigo apresentamos um contexto sobre o uso da informática na sala de aula  apontado   suas   possibilidades   e   seus   desafios.  Nos   dias   atuais   a   tecnologia   tem   sido  utilizada   constantemente   e,   no   mesmo   ritmo,   passa   por   atualizações   frequentes.  

Por: SANDRA TAIS AMORIMl Tecnologia> TIl 28/10/2010 lAcessos: 129 Jerusa Cristiane Da Fonseca A televisão digital

O trabalho apresenta as vantagens deste recurso de comunicação,e busca fornecer conceitos ao educador para preparar o educando para a melhor utilização desta mídia, considerando este aluno como futuro telespectador.

Por: Jerusa Cristiane Da Fonsecal Educaçãol 30/01/2011 lAcessos: 33 Antonio Cunha Políticas Públicas Educacionais Emancipatórias Em Face A Diversidade E Desigualdade Social Em Curitiba-Pr (1970-2009)

O presente trabalho tem como objetivo, rever as referências teóricas sobre o tema “emancipação” associadas à análise das políticas públicas educacionais adotadas pelo Governo Brasileiro, focando Curitiba-Pr, considerando a desigualdade e a diferença social da clientela das escolas públicas estaduais e federais, diante das demandas sociais e de mercado de trabalho, numa perspectiva de emancipação e esforços públicos.

Por: Antonio Cunhal Educaçãol 10/08/2009 lAcessos: 3,647 Diniz Aguillar Uma nova visão das pequenas e médias empresas

Uma visão de quem atua no SEBRAE e identifica situações nas pequenas e médias empresas

Por: Diniz Aguillarl Educação> Ensino Superiorl 25/05/2011 Jorge Rocha Gonçalves O desacerto: virou um concerto

resenha escrita para analise do veto sobre o Kit sobre Homofobia nas escolas, vetado pela Presidenta da Republica do Brasil. Analise validado pelas noticias nos meios de comunicação

Por: Jorge Rocha Gonçalvesl Educação> Ensino Superiorl 25/05/2011 Auditoria governamental - um instrumento de prevenção aos crimes de corrupção na administração pública no brasil

Corrupção. Mal que assola o Brasil há séculos e que está arraigado na cultura brasileira. O agente público deve estar imbuído da prática de servir a população de forma que não se misture aquilo que é público com o que é privado. O dinheiro público não pertence àquele que o administra. É necessário que os Tribunais de Contas estejam à frente das ações dos agentes públicos, auditando ao mesmo passo em que esses executam suas obras, seus serviços, suas compras.

Por: MARI INÊS SIMIOLI FURLANl Educação> Ensino Superiorl 25/05/2011 Educação & sálario

De quem é realmente a responsabilidade para a formação de milhares de cidadãos Brasileiros para o ingresso a vida no trabalho, na sociedade em que vivemos: Será que os professores estão preocupados com a qualidade de profissionais que entram no mercado de trabalho todos os dias e que passaram pelas mãos de milhares de professores, será que os profesores se dão conta da tamanha responsabilidade!

Por: LUZIA ARRUDA RODRIGUESl Educação> Ensino Superiorl 24/05/2011 Jorge Rocha Gonçalves A Escola Aberta: uma abertura na escola

apresentar os caminhos que levam a escola a se tornar um espiral, onde os sujeitos da escola encontram-se a mercê da vontade alheia. Dados validados pelas reportagens dos agentes de noticiais no Brasil.

Por: Jorge Rocha Gonçalvesl Educação> Ensino Superiorl 24/05/2011 Historicismo e historiografia pós-moderna

A maior parte dos participantes da Primeira Guerra Mundial consideravam-na a solução de todos os problemas. A euforia em frente a batalha, que todos julgavam que seria rápida e eficaz, logo dissipou-se diante das atrocidades e do fim de uma era que se esvaia....

Por: LEIDIANEl Educação> Ensino Superiorl 24/05/2011 Os personagens das Grandes Guerras

A maior parte dos participantes da Primeira Guerra Mundial consideravam-na a solução de todos os problemas. A euforia em frente a batalha, que todos julgavam que seria rápida e eficaz, logo dissipou-se diante das atrocidades...

Por: LEIDIANEl Educação> Ensino Superiorl 24/05/2011 A boa liderança na educação

Dissertou-se sobre o papel de Liderança e seus fenômenos inerentes aos grupos sociais.

Por: GUTEMBERG MARTINS DE SALESl Educação> Ensino Superiorl 23/05/2011 A educação inclusiva e a importância dos recursos didáticos-pedagógicos

A educação inclusiva não pode ocorrer sem a utilização de recursos didáticos-pedagógicos necessários a adaptação dos educandos com deficiência nas salas de aula, para tanto é de extrema importância o trabalho conjunto entre o profissional das salas de recursos e o professor da sala de aula comum. A escola, por outro lado, deve permitir a acessibilidade necessária para que o aluno com deficiência possa ter segurança e conforto durante a realização das atividades nos espaços pedagógicos.

Por: Micheline Banhosl Educaçãol 30/11/2010 lAcessos: 446 Interação De Mídias Na Escola

A sociedade atual materializa uma série de descobertas que levam à utilização de equipamentos modernos para uma adequação às necessidades do dia a dia, ou até mesmo para a produção do conhecimento. A escola no seu papel de espaço de construção do saber não pode tornar-se inerte nesta perspectiva, devendo acompanhar e estimular o uso de mídias nos ambientes pedagógicos.

Por: Micheline Banhosl Educaçãol 12/02/2010 lAcessos: 548 Adicionar novo comentário Seu nome: * Seu Email: if($.cookie("screen_name")) { $('#not_logged_in').hide(); } Comentário: *   document.write(''); O código de verificação:* * Campos obrigatoriós Publicar

seus artigos aqui
é de graça e é fácil

Cadastro Menu do autor área do Autor Publicar Artigos Ver/Editar Artigos Ver/Editar P&R Editar Conta Perfil do autor Estatísticas RSS Builder Pessoal área do Autor Editar Conta Atualizar Perfil Ver/Editar P&R Publicar Artigos Perfil do Autor Micheline Banhos Micheline Banhos tem 3 artigos online Enviar mensagem ao autor Canal RSS Imprimir artigo Enviar a um amigo Re-publicar este artigo Categorias de Artigos Todas as Categorias Arte& Entretenimento Automóveis Beleza Carreira Casa & Família Casa & Jardim Ciências Crônicas Culinária Direito Educação Esportes Finanças Futebol Internet Literatura Marketing e Publicidade Negócios & Admin. Notícias & Sociedade Press Release Psicologia&Auto-Ajuda Relacionamentos Religião & Esoterismo Saúde Tecnologia Turismo e Viagem Educação Ciência Educação Infantil Educação Online Ensino Superior Línguas Necessita de ajuda? Fale Conosco FAQ Publicar Artigos Guia Editorial Blog Links do Site Artigos Recentes Autores Populares Artigos Populares Encontrar Artigos Sitemap Webmasters RSS Builder RSS Link a nós Informação Empresarial Anunciar O uso deste site constitui a aceitação dos Termos de Uso e da Política de Privacidade | O conteúdo publicado pelos usuários é licenciado sob Creative Commons License.
Copyright © 2005-2011 Ler e Publicar Artigos por Artigonal.com, todos os direitos reservados. Quantcast

View the original article here

NOTEBOOK

Related Posts with Thumbnails